Diferença entre varizes e vasinhos

Quais são as diferenças entre varizes e vasinhos?

A maioria das pessoas se refere aos sintomas de doença varicosa como varizes. Apesar do uso tão difundido da palavra “variz”, as possíveis evoluções tem diferentes estágios, características e nomes. Não raro, usa-se termos diferentes como se fossem equivalentes. Um exemplo disso é a confusão entre varizes e vasinhos. Embora tenham semelhanças entre si, existem importantes diferenças entre varizes e vasinhos.

Neste post, vamos entender melhor quais são estas diferenças, acenando também para alguns outros quadros similares.

A origem na insuficiência venosa crônica

Como já escrevemos no artigo sobre insuficiência venosa crônica, a dificuldade continuada do retorno do sangue dos membros inferiores para o coração pode causar algum dos tipos de quadros ligados às veias varicosas.

Os manuais médicos utilizam a Classificação Clínica, Etiológica, Anatômica e Patológica (CEAP) para especificar os diferentes estágios da insuficiência venosa.

Assim, são sete as classes principais da insuficiência venosa, que também definem a sua nomenclatura:

Classe clínica

Características da insuficiência

0
Sem sintomas
1
Veias reticulares ou telangiectasias
2
Veias varicosas (varizes)
3
Edema oriundo da etiologia venosa
4
Pigmentação, eczema ou lipodermatoesclerose
5
Úlcera varicosa já cicatrizada
6
Úlcera varicosa em evolução

Desta maneira, vê-se que a categoria mais conhecida, varizes, é apenas um entre os sete estágios possíveis. Vamos entender melhor o que caracteriza as varizes (classe 2) para depois passar os vasinhos (classe 1).

O que diferencia as varizes?

Tendo em vista o quadro CEAP, as varizes correspondem a classe clínica número 2, em que a veia apresenta diâmetro acima de 4 mm e localizada abaixo da pele (subcutâneo).

Dadas suas dimensões, tornam-se facilmente palpáveis e de fácil identificação visual. Além disso, elas costumam ter maior extensão e são causadas pela dilatação das paredes da veia atingida.

Veja nesta foto um exemplo clássico de varizes na perna:

Varizes em pernas

Os tratamentos para as varizes variam segundo o caso específico. Por exemplo, podem ser indicados a escleroterapia com espuma e a minicirurgia com remoção da veia doente. Um cirurgião vascular poderá avaliar o caso e indicar o melhor tratamento.

Vasinhos: como identificá-los?

Antes de tudo, vasinhos são a forma mais comumente conhecida do que a medicina chama de telangiectasias.

Os vasinhos possuem três características principais:

  1. se localizam em área muito próxima a pele, portanto facilmente visível;
  2. o diâmetro dos vasinhos raramente supera 1mm;
  3. não se desenvolvem: eles não aumentam de tamanho a ponto de se transformarem em varizes calibrosas (mas aumentam em quantidade em determinada região da perna se não tratados).
Vasinhos em membro inferior

Outro aspecto importante para identificar os vasinhos são seu aspecto visual fino e não raro em forma de teia de aranha. Um exemplo é este vasinho da imagem aqui acima.

Embora tenham dimensões reduzidas, provocam os sintomas típicos de varizes como dor e queimação

As diferenças entre varizes e vasinhos

Agora que vimos as definições de varizes e vasinhos, vamos entender as diferenças entre eles:

  1. tamanho: enquanto as varizes costumam ter mais de 4mm de diâmetro, os vasinhos tem 1mm;
  2. evolução: as varizes podem crescer com o tempo, seja em extensão que em diâmetro. Já os vasinhos permanecem enquanto tal, sem se converter em varizes de maior calibre;
  3. localização: as varizes acometem veias mais profundas e por isso mesmo de maior calibre. Já os vasinhos se manifestam em pequenos vasos próximos da superfície da pele.
  4. tratamento: varizes e vasinhos tem tratamentos não necessariamente iguais. Enquanto os vasinhos podem ser tratados com a técnica CLaCS na quase totalidade de casos, com as varizes as técnicas empregadas podem variar segundo o caso. Com efeito, as varizes podem ser tratadas com a cirurgia convencional, passando pelas diferentes modalidades de escleroterapia e também o laser da CLaCS. Ainda, uma combinação de técnicas pode ser a melhor saída em determinados casos.

Cabe lembrar ainda que existem casos em que vasinhos e varizes se manifestam ao mesmo tempo no paciente. Nesta hipótese, tratamentos distintos poderão ser aplicados a cada um.

Consulte sempre seu cirurgião vascular para o diagnóstico correto, essencial para proporcionar o tratamento mais indicado ao seu caso específico.

Como vimos acima, varizes e vasinhos tem origens comuns, dentro do quadro da insuficiência venosa crônica. Assim, algumas práticas saudáveis são importantes para evitar seu surgimento. Neste artigo falamos sobre cinco hábitos que auxiliam na prevenção de varizes e vasinhos.